CRIA

CRIA - Centro em Rede de Investigação em Antropologia

O Centro em Rede de Investigação em Antropologia é uma unidade de investigação inter-institucional vocacionada para a investigação em antropologia social e cultural. Criado em 2008, obteve a classificação de “Muito Bom” no último exercício de avaliação da FCT e resulta da fusão de duas anteriores unidades de I&D da FCT também avaliadas com “Muito Bom” — o Centro de Estudos de Antropologia Social (CEAS / ISCTE) e o Centro de Estudos de Migrações e Minorias Étnicas (CEMME / FCSH-UNL). A estas duas anteriores unidades reconhecidas pela FCT juntaram-se outros centros e grupos de investigação (CEEP/FCSH-UNL, NEA/UM, ETNA/FCSH-UNL) e um grupo de investigadores do Centro de Investigação em Antropologia (CIA / FCT-UC), bem como outros investigadores sem filiação a qualquer unidade de investigação.

Em termos funcionais o CRIA está dividido em quatro pólos institucionais, localizados em quatro instituições de ensino superior (ISCTE, FCSH-UNL, FCT-UC, UM). Cada pólo desenvolve de forma autónoma as suas actividades promovendo também actividades conjuntas com outras unidades de investigação e ensino/formação. Os interesses científicos dos investigadores que compõem esta nova unidade de I&D serão agregados em quatro linhas temáticas:

1. “Identidades Sociais e Diferenciação/Social Identities and Differentiation”;
2. “Práticas e Políticas da Cultura/Culture: Practices, Politics, Displays“
3.“Migrações, Etnicidade e Cidadania / Migrations, Ethnicity, Citizenship”;
4.“Poder, Saberes, Mediações/Power, Knowledge, Mediations”.

As linhas de investigação permitem agregar e cruzar os interesses dos investigadores distribuídos pelos quatro pólos institucionais. Assim, promove-se o diálogo e a cooperação entre grupos e entre pólos de forma a criar uma plataforma multi-vocal que permita, por um lado, contribuir para o avanço do conhecimento em cada uma das quatro linhas temáticas e, por outro lado, promover o avanço do conhecimento na antropologia social e cultural de forma alargada.

A Antropologia Portuguesa tem participado de forma activa na revitalização e reorientação estratégica da antropologia internacional, contribuindo para o crescimento exponencial de actividades baseadas em relações institucionais existentes em território nacional, bem como para a cooperação inter-académica a nível internacional (que tem ocorrido sobretudo com instituições congéneres nos EUA, na Europa e no Brasil). Com base nestas relações institucionais pré-existentes, os investigadores que constituem o CRIA pretendem criar uma rede científica capaz de maximizar recursos e capacidades que estavam dispersas e conferir-lhes uma maior profundidade científica a nível teórico, metodológico e temático.

Durante os próximos anos a actividade do CRIA terá como principal objectivo promover o avanço e a internacionalização da Antropologia Portuguesa. Para que este objectivo se possa concretizar definimos como eixos de acção os seguintes: 
a) Desenvolvimento de projectos de pesquisa teórica e aplicada; 
b) Organização de eventos que promovam o debate científico e a difusão da pesquisa (congressos, seminários e conferências); 
c) Edição de publicações científicas que permitam a difusão dos resultados de projectos de investigação a nível nacional e internacional; 
d) Organização de cursos e de actividades relacionadas com a formação pós-graduada; 
e) Encorajamento da colaboração internacional em rede, no desenvolvimento de projectos e grupos de investigação e de promoção científica; 
f) Reforço das relações de cooperação com instituições congéneres, nacionais e internacionais; 
g) Acolher estudantes do ensino superior, licenciados e investigadores de pós-graduação nas suas actividades de investigação e contribuir para a sua integração na comunidade científica.

O CRIA pretende ser a principal plataforma em Portugal dedicada à Antropologia Social e Cultural, liderando as actividades de investigação nesta área de estudos, estando organizado de forma a optimizar recursos materiais e intelectuais, e a promover novas oportunidades de pesquisa tanto a nível nacional como internacional.

Para cumprir esta estratégia o CRIA procurará fontes alternativas de financiamento através de protocolos de colaboração com outras instituições dedicadas à investigação e com organizações não governamentais em Portugal e no estrangeiro.

 

Site Cria: http://cria.org.pt/

center fwB||hide||||news|c05 normalcase uppercase fwR|c05|login news c05 normalcase uppercase|c05 tsN normalcase uppercase|c05|||